O potencial da energia eólica no Tocantins foi o tema de uma reunião da Comissão de Minas e Energia realizada na tarde desta quinta-feira, 1°. Requerido e presidido pelo deputado Paulo Mourão (PT), o encontro terminou com um acordo entre os membros para convidar o ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, a participar de uma nova reunião em 2017.

De acordo com Paulo Mourão, “nós precisamos do Governo federal para investir nesta área. As pesquisas podem ser realizadas pelo Ministério sem nenhum custo para o Estado. Se o Piauí está conseguindo investimentos, nós podemos conseguir também”.

A reunião contou com exposições gerais do assunto feitas pelo meteorologista e professor da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), José Luiz Cabral da Silva Júnior, e do geólogo e professor do curso de engenharia de minas do Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp) da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Ottom Nunes Pinheiro.

Eles disseram que a produção mundial da energia eólica cresce exponencialmente no Brasil desde a última década e que estados nordestinos têm se destacado na área como forma de compensar longos períodos de estiagem e racionamento.

Além de perguntas, os parlamentares comentaram as apresentações. O deputado Mauro Carlesse (PHS) observou que os empresários precisam de mais informações sobre linhas de distribuição e a sazonalidade dos ventos locais para investir, e concordou com os especialistas sobre necessidade de apoiar novas pesquisas.

Já a parlamentar Valderez Castelo Branco (PP) comentou sobre a necessidade de antecipar o futuro. “Quem diria que faltaria água em São Paulo? Um dia teremos menos petróleo também. É preciso criar alternativas”, concluiu. As experiências bem sucedidas em governos anteriores, de isenção de ICMS para energias alternativas, foi a contribuição do deputado Rocha Miranda (PMDB). (Glauber Barros)